Fundamentos

Será teu

František Kupka, Impromptu (1913)

Uma chave para a leitura orante da Escritura reside na abertura dos horizontes da imaginação: permitir que cada palavra, cada gesto ou personagem nos conduza para lá de um mero «foi assim que aconteceu mesmo?» ou «que ensinamento moral posso retirar daqui?». Poderá por vezes não haver uma “mensagem” a retirar, poderá por vezes a história não ter sido bem assim: a leitura de um texto bíblico poderá ser, por vezes, uma muito breve passagem por um Amor maior.

O Salmo 24 fala-nos de pertença, de subida, de procura, de bênção. Merecem bem ficar na nossa memória e nos nossos lábios, por exemplo, preces como: «Do Senhor é a terra e o que nela existe, o mundo e quantos nele habitam» – a terra, como a nossa vida e tudo o que nela existe, de beleza, como de sofrimento; o mundo, como a nossa história e tudo o que a habita, de rotina como de fecundidade. Escutemos também esta prece: «Quem habitará no seu santuário? O que tem as mãos inocentes e o coração puro». Muitos momentos de pausa, de olhos fechados, podem ser vividos no sussurro destas palavras divinas.

Comentando este salmo, Agostinho de Hipona permite-se o luxo de quase nem o referir. As suas palavras seguem o espírito do salmo, subindo à contemplação de uma Beleza maior. Subamos também nós, hoje, a esta montanha sagrada, a este santuário.

«Tu és um homem. Tudo o que podes desejar sobre a terra para tua felicidade está ao teu alcance. És maior que todos esses bens. Vales mais, procuras mais alto, aspiras à felicidade, mas és infeliz. Esperas que a situação futura seja melhor do que a presente. Procura pois um bem melhor do que tu, a fim de te tornares para ele melhor do que tu.

Procura a Deus e possuí-Lo-ás. Ainda tu O não desejavas e já Ele lá estava; afastavas-te d’Ele e Ele chamou-te. Ele deu-te tudo, fez-te o que tu és, dá àqueles que O rodeiam, mesmo aos maus, o seu sol e a sua chuva, os frutos da terra, as fontes, a vida, a saúde e todos os benefícios. Reserva para ti o que não dará senão a ti.

Que te reserva senão Ele próprio? Pede melhor, se o encontras. Deus reserva-Se a Si mesmo para ti. Ambicioso como és, porque voltas com avidez os olhos para o céu e para a terra? Aquele que os fez é muito superior a eles. É a Ele que tu verás, a Ele possuirás. Ama-O, possui-O. Se O quiseres tê-Lo-ás. E será teu gratuitamente»*.

* Tradução por José de Leão Cordeiro, in Saltério Litúrgico, ed. SNL, Fátima/Coimbra 2005, p. 108.

Deixe uma resposta

@wpshower

Feeds

Susbscribe to our awesome Blog Feed or Comments Feed